Advogadas de formação e gestoras de conflitos por vocação, a mediação apareceu em nossas vidas após uma longa história jurídica onde presenciamos disputas e relacionamentos com finais nem sempre satisfatórios.

Para nós, as disputas travadas no judiciário sempre nos passaram uma impressão muito beligerante, onde a maioria dos envolvidos terminavam a demanda sempre muito frustrados após longo e extenuante processo.

Por essa razão, quando pensamos em gestão de relacionamentos, a imagem do buriti surgiu de imediato.

O buriti é uma árvore (palmeira) nativa do Brasil que em tupi-guarani significa “árvore da vida” considerada sagrada para os índios, uma vez que dela se consegue extrair tudo que é necessário para sobreviver.

O fruto do buriti, que leva o mesmo nome, possui uma casca dura que funciona como uma proteção natural contra predadores e contra a entrada de água. A polpa do fruto é saborosa, de paladar único e de coloração alaranjada. Esse fruto é rico em propriedades naturais (fonte de vitaminas, cálcio, ferro e proteínas), e muito utilizado na indústria de cosméticos.

Assim como o fruto do buriti, nós, seres humanos também nos revestimos com uma capa dura e resistente. Contudo, internamente, somos uma complexidade e pluralidade de condutas, uma mistura de instintos: de sobrevivência, de proteção, de agressividade, de amor, etc.

E essas emoções desabrocham quando estamos passando por momentos em que é preciso tomar decisões sob pressão ou ainda diante de um problema de difícil resolução. Contudo, muitas vezes não percebemos como essas nossas emoções afetam aqueles que estão a nossa volta.

Na gestão de relacionamentos, temos a oportunidade de proporcionar aos envolvidos uma alternativa para solucionar seus conflitos através da conversa, escuta e busca de combinados.

Assim, nasceu a BURITHI Gestão de Relacionamentos, do desejo de ver situações que pareciam de impossível solução, se transformarem em entendimentos.